A Técnica do Tomate

Em abril, logo após a Semana Santa, fiz um post reclamão sobre o meu feriado não ter rendido nada, principalmente devido a uma gripe forte. Termino dizendo que preciso de uma receita milagrosa para a tal gripe, meu sono e desânimo e, quem sabe, para a “falta de tempo”. Foi nesse post em que a Nati comentou sobre a Técnica de Pomodoro. Desde então, ensaiei várias vezes fazer um post sobre o assunto, mas acabava sempre me esquecendo. Hoje, vim realizá-lo e divulgar, para quem desconhece, o que é a tal técnica.

Antes, porém, quero compartilhar algo que li no Vida Organizada hoje e acho que, de certa maneira, se encaixa nesse post. Já havia lido coisas do tipo por lá e isso sempre me faz repensar na minha postura e sempre me incentiva a me organizar melhor.

“Ninguém tem tempo. O dia tem 24h para todo mundo. (…) Ser uma pessoa organizada significa arranjar tempo, pois sabe quais são suas prioridades e instaura processos que facilitam o dia-a-dia, gerando o tempo necessário para fazer o que precisa ser feito.”
Thais Godinho

Dito isso, voltemos à Técnica de Pomodoro, criada no final dos anos 80 por Francesco Cirillo, italiano, obviamente. A técnica consiste em se dedicar a uma tarefa por 25 minutos ininterruptos. Nesse tempo, você focará toda a sua atenção nessa única tarefa, sem distrações. Finalizados os 25 minutos, você pode tomar um intervalo pequeno, de 3 a 5 minutos, para descansar. Eu costumo aproveitá-lo para verificar meus e-mails e redes sociais; me alongar; beber água; lavar o rosto; ir ao banheiro; responder às mensagens no celular, etc. Após quatro ciclos de 25 minutos, você pode tirar um intervalo maior, de 15 a 30 minutos. Eu costumo aproveitar esse outro intervalo para ir à padaria ou supermercado; fazer um lanchinho; responder aos e-mails; ler os feeds no Google Reader; tomar banho; ver TV; etc.

O nome da técnica vem de tomate, em italiano, pomodoro. Isso porque o criador usava um timer de cozinha, em formato de tomate, para marcar os 25 minutos. Existe uma ferramenta, porém, que me agrada mais: o Focus Booster, aplicativo que pode ser usado tanto online, quanto pode ser baixado no computador. Ele funciona como um timer, soando um alarme ao fim dos 25 minutos. O diferencial é que, após esse tempo, ele marca também o intervalo de 3 a 5 minutos. Você pode configurar os intervalos de tempo a seu gosto e de acordo com as atividades que você vai realizar. Eu costumo usar os clássicos 25-5 ou ainda 45-15.

Um fato interessante é que, no ano em que eu estudava para o vestibular – lembram que eu estudei sozinha, sem cursinho? – eu usei a tal técnica, sem saber que ela tinha nome e tudo o mais. Na época, eu usava o despertador do meu celular para marcar intervalos de 45 minutos para estudar e 15 para descansar. No fim de dois ciclos, eu dobrava o segundo descanso. Foi assim que consegui passar manhãs e tardes inteiras estudando sem me cansar, além de poder manter minhas noites e finais de semana livres.

Esse ano, após a dica da Nati, voltei a usar a técnica principalmente para estudar, fazer trabalhos e limpar meu apartamento. Funciona muito bem, desde que você respeite os intervalos certinho.

Anúncios

9 comentários sobre “A Técnica do Tomate

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s