Ironia

O que vou lhes descrever nas próximas linhas é algo que sempre acontece comigo e que, acredito, pode ser que aconteça com algumas de vocês.

Primeiro, descrevamos a situação: aquela rodinha típica de mulheres, geralmente mais velhas que eu, talvez da idade da minha mãe. Não tenho nada contra grupos de mulheres conversando, é claro. Muitas vezes, é bastante prazeroso e interessante. O que me incomoda é quando, em reuniões mistas, se dividem homens e mulheres – geralmente homens na sala e mulheres na cozinha – em rodinhas diferentes, como se a intenção de uma reunião não fosse reunir, e sim segregar. Mas, enfim, não nos dispersemos. Também devo dizer que não tenho nenhum preconceito com mulheres de meia idade. Só acredito que, em muitos casos, mulheres mais velhas estão mais propensas a serem machistas do que mulheres mais novas simplesmente por terem sido criadas em um ambiente mais machista. De qualquer forma, acredito que vocês já tenham em mente a rodinha de mulheres que eu quis descrever. Eu estou no meio, por alguma razão.

Conversa vai, conversa vem, alguma delas reclama sobre sua vida conjugal. Eu entendo que nenhum casamento é um mar de rosas, como nenhum relacionamento é. Todos têm problemas. Mas geralmente essas mulheres demonstram uma infelicidade enorme com seus casamentos e maridos. Homens estes que não são seus companheiros, mais parecem verdadeiras cruzes que elas carregam. Elas estão presas em casamentos que as fazem infelizes, mas que, apesar de tanto reclamarem, ainda insistem que as fazem “bem”. Claro que sempre há um certo exagero em tudo isso. Muitas mulheres, no auge de sua competitividade, exageram fatos e reclamações, falam verdadeiros absurdos. Mas é possível perceber no olhar de algumas o que verdadeiramente acontece. Mulheres infelizes, mas satisfeitas em estarem “cumprindo seu papel na sociedade”, sendo “boas” esposas e mães.

São essas mesmas mulheres que, em determinado momento, viram os holofotes para mim. Eu, a mocinha de 20 e poucos anos, solteira, mas namorando. Me perguntam quando eu vou casar. Isso mesmo, quando. Não me perguntam se quero, se sonho, se isso está nos meus planos. Elas são categóricas: quando. Afinal, uma moça tem que se casar. É o que se espera de uma mulher. É o que se esperava delas e elas, triunfantes, cumpriram seu destino e casaram. E mais: tiveram filhos. Reza a lenda que a mulher que não é mãe é uma mulher incompleta. (Spoiler: isso é uma grande mentira.)

Sinceramente, tenho vontade de rir. Aquelas mesmas mulheres tão infelizes com seus casamentos querem que eu me junte ao coro das reclamonas? Querem que eu me torne uma delas? Uma respeitada mulher casada que adora reclamar do marido em rodinhas de respeitadas mulheres casadas que também adoram reclamar do marido?

Eu não sou idiota a ponto de achar que toda mulher casada é infeliz com seu casamento. Eu não sou idiota a ponto de achar que toda mulher se casa por pressão, por achar que é assim que deve ser. Felizmente, existem mulheres que casam por acreditar no casamento, por amar seus maridos, por sonhar com aquilo de verdade. Não sou contra o casamento. Só acho irônico aquelas mesmas mulheres que têm uma experiência tão ruim com seus casamentos acharem que você também deve se casar. Quando é o comentário de uma mulher verdadeiramente “bem casada”, que é feliz e satisfeita com sua vida, que ama seu marido e ama estar com ele, eu compreendo perfeitamente. Talvez ela queira essa mesma felicidade e satisfação para mim – e simplesmente não parou para pensar que o que a faz feliz, não necessariamente me faria. Mas vindo de uma mulher infeliz, chego a pensar que ela queira que eu seja infeliz como ela.

Só para concluir, eu já disse aqui e digo de novo: nossa felicidade não deve depender exclusivamente de outra pessoa. Não podemos depender de um casamento ou de qualquer outro relacionamento para sermos felizes, existem tantos outros motivos! Casamentos, namoros e amizades acabam. Pessoas mudam, pessoas se vão. Em primeiro lugar, nossa felicidade deve depender de nós mesmos. Só lembrando que felicidade é diferente de alegria, que ser feliz não quer dizer estar alegre o tempo todo. Todos temos momentos ruins e o direito de sofrermos, de estarmos tristes. Mas se somos felizes, superamos isso e vamos em frente.

Eu sou feliz. Não sou casada, não tenho filhos e não me sinto menos mulher por isso. Não sou incompleta. Tenho um corpo, um cérebro, penso, questiono, sou feminista, tenho uma personalidade que mesmo cheia de defeitos me agrada bastante. Estou onde gostaria de estar, estou satisfeita, mesmo que ainda há muito o que fazer, melhorar e conquistar. Posso parecer egoísta e egocêntrica, mas não tenho o direito de jogar toda a responsabilidade da minha felicidade nas costas de quem eu amo. Eles não me fazem feliz. Eles me fazem mais feliz.

Anúncios

15 comentários sobre “Ironia

  1. Aah, as rodinhas. Às vezes, a conversa que sai ali é tão agradável quanto uma apendicite estourada. Eu sei, já passei por isso – a conversa, não a apendicite. O meu caso é meio diferente, porque sempre me perguntam porque estou solteira, porque não arranjo um namorado logo pra não 'ficar sozinha'. Vê se pode? Depois leva um tiro e não sabe o porquê.

  2. Sempre quando eu digo que não quero me casar agora, só daqui a uns 5 anos alguem fala: “vc vai deixar seu namorado te enrolar 10 anos?” (a gnt namora faz 4).
    poxa, não né ¬¬ eu simplesmente não quero me casar com 19 anos, ¬¬ povo inutil

  3. Concordo demais com você. É quase como se quisessem que você fosse infeliz junto. E sabe o que é pior? Eu, por exemplo, namoro há mais de 3 anos e às vezes me perguntam “Como vai o namoro?” E quando eu respondo “Bem.” algumas pessoas se sentem incomodadas, tipo “Como em tanto tempo você não brigaram nem nada? Na sua idade é complicado ter um namorado por tanto tempo.” Entende? As pessoas esperam o fracasso de um relacionamento e chegam a esperar sentados pra ver o circo pegar fogo.

  4. Entendo perfeitamente tudo isso que você disse. Deteeeesto essas rodinhas de mulheres, geralmente, não me junto à elas mas quando sou “forçada” a isso, sempre vem o mesmo papo, que no meu caso é:
    Nossa, vocês já estão juntos há dois anos, quando terão filhos?
    Sempre respondo que tenho dois (meus cachorrinhos) e elas vem com o blá blá blá de que PRECISAMOS de filhos.
    Nunca entendem que cada um tem seu tempo, seus objetivos e prioridades =/

  5. Concordo em partes porque sempre quis ser solteira. Sonhava com casinhos aqui e ali, mas nunca com casamentos. Bom, minhas escolhas me levaram pra outros caminhos, já que agora estou num relacionamento sério e casar já aparece na minha mente como um 'plano'. Mas apesar de toda essa chatice de ''quando vai se casar'', eu curto esses grupinhos e papinhos de meia idade =P Somos de gerações diferentes, nós jovens temos outras prioridades na vida e não é tão fácil pra elas digerir tanta ''''evolução''''. Evoluímos?
    Elas não são tão infelizes como pintam, apesar de serem mais velhas, não foram obrigadas a casar. Estão com homens que amam, mas 20 anos de casamento não são 20 dias de namoro. São compromissos, filhos, rotina, responsabilidades que cansam qualquer um e que nós, no auge dos vinte anos de idade e de um namoro cor de rosa, AINDA não temos ideia. Tenho certeza de que elas não querem o nosso mal, nem impor os costumes de décadas atrás. Acho que só querem nos passar valores que elas acham corretos. Não as joguem aos sapos =) A gente pode não entendê-las, mas quem é que nos entende?

    E sim, eu tenho corpo de 23 anos e uma alma de 60 =B

    (Meu comentário é quase um post, sorry ^^)

    Beijos! =D

  6. Concordo com você.
    Acho que no fundo pra elas sofrer em grupo é melhor. É quando elas percebem que não estão sozinhas. Só que comigo é ao contrário, já vi mulheres casadas que dizem que teriam feito outras escolhas ou outras coisas antes de casar tão cedo. A maioria se casa jovem por pressão da religião, que pode ser mal vista se não se casar quando todas as outras do conjunto estão se casando.
    Isso é muito mais uma pressão da sociedade. que é só esse o destino de todas as mulheres.
    eu fui assistir a palestra da Thalita Rebouças (eu não a conhecia bem, fui com um amigo), perguntaram por que ela ainda não tinha filhos, ela simplesmente disse que não queria ter filhos, que ela reconhece que não é só ter filho, mas estar lá pra ele, e com a carreira dela ela não poderia e que ela não se sentia menos mulher por isso ou ligava pra o que a sociedade dizia (que toda mulher independente de tudo tinha que ser mãe). é a escolha dela.
    Enfim, isso ainda é muito imposto na sociedade. E é dificil de tirar isso.

  7. “Eles não me fazem feliz. Eles me fazem mais feliz.” THIS!
    E eu, que nem namorado tenho? É a coisa é bem mais tensa. Preciso contar até 38575 pra não dar uma resposta daquelas.
    Beijos

  8. Concordo plenamente com seu post. Eu que namoro há quase três anos tenho sempre que explicar porque não tenho vontade de casar. Se for acontecer, vai ser naturalmente e não pq é um “rumo natural da vida de toda mulher”. E mesmo se casar, não pretendo ter filhos. Posso mudar tudo amanhã, mas hoje penso assim.
    Quanto ao feminismo, sempre acho que é uma faca de dois gumes: a maioria absoluta das mulheres são feministas quando lhe convém, e elas fazem isso sem perceber. Comecei a notar que estava fazendo isso sem perceber. Agora sempre paro e penso. Tem muitas que veem feminismo EM TUDO, e isso me irrita mais do que quando elas são indiferentes ao feminismo.
    Aguardo posts.. Adorei sua escrita.
    Bjs

  9. Oi!
    Sempre fico revoltada nessas situações sabe, mas no meu caso é “e o namorado? quando vai ter?”, e eu fico “não sei, ainda não tá na hora”, mas as pessoas, em especial algumas mulheres acreditam que não podemos “ser” sem eles.
    Aí vem a noção de gênero pra dizer pra nós que os comportamentos foram definidos. Que muitas foram submetidas aos homens porque a sociedade quis assim, mas eu sinceramente acho que tanto as mulheres e homens poderiam ter feito diferente. E ainda podem fazer. Poxa.
    beijo!

  10. Eu também gosto de grupinhos de mulheres de meia idade. Para ser sincera, eu gosto muito de ouvir conversa alheia, principalmente de gente mais velha, isso desde criança. Eu entendo que somos de gerações diferentes e apontei isso no post, inclusive. (“Em muitos casos, mulheres mais velhas estão mais propensas a serem machistas do que mulheres mais novas, por terem sido criadas em um ambiente mais machista.”) Não digo – e não acho – que toda mulher mais velha é machista. Mas justamente por serem de outra geração, é mais provável que sejam do que nós.
    Sei também que elas não são tão infelizes como pintam. Também disse isso no post. (“Claro que sempre há um certo exagero em tudo isso. Muitas mulheres, no auge de sua competitividade, exageram fatos e reclamações, falam verdadeiros absurdos.”) Também não digo que elas foram obrigadas a se casar (“Elas escolheram aquilo.”), embora saiba que muitas delas fizeram essa coisa não por livre e espontânea verdade, mas por pressão, por acharem que era o certo a se fazer. Principalmente porque quando elas eram jovens, essa pressão era infinitamente maior. Muitas delas não estão com o homem que amam, mas sim com o homem com quem foi conveniente casar. Muitas vezes o amor acaba, mas o casamento continua por comodismo. Se o amor prevalece, por mais que o relacionamento seja desgastado por compromissos, filhos, rotina e responsabilidades, as pessoas conseguem ser felizes com seus casamentos, mesmo que não o estejam todo o tempo. Como eu disse, ser feliz é uma coisa, estar alegre é outra. Nem toda mulher que reclama do casamento/marido numa rodinha é uma mulher infeliz. Mas muitas são. E, no meu caso, nas rodinhas que sou “obrigada” a frequentar, conheço-as muito bem para saber que são.
    Eu sei que muitas delas não querem meu mal. Mas sei que muitas delas querem impor seus costumes, sim. Não quis generalizar. Nem afirmar nada. O post é um questionamento, sobre como é irônico alguém querer para você algo que não a faz bem. Só isso. Não quis jogar ninguém aos sapos. Até porque, eu não quis citar quem são essas pessoas, porque são gente que eu amo, são gente da família, ou amigas dos meus pais de tanto tempo que meio que considero minhas amigas também, minhas primas, minhas tias, enfim… Acho que você me entendeu. :) Não gosto de medir as palavras nos meus posts, então às vezes minhas opiniões podem parecer mais fortes do que são, e as minhas frases podem parecer mais afirmativas do que são.

  11. Meninas você é hilária rsrsrsrs
    olha eu sou casada e muitoooo bem casada há 4 anos, super respeito a decisão de uma jovem não querer casar , eu casei porque amo demais meu marido e senti que tava na hora de juntas as escovas e ponto.Casamento realmente não é um mar de rosas, é jogo de cintura e as velhas sismam que todo mundo tem casar justamente pra fazer parte do clube das reclamonas rsrsrsrs fala sérioooo
    agora o que eu não aguento é pq todo mundo acha que casou TEM QUE TER filho, pelo amor de DEUS, desde quando ter filho é sinônimo de felicidade completa, como vc mesma disse, cada um tem que correr atras da própria felicidade e não de um filho rsrs detesto isso, fico revoltada.Tenho muitaa vontade de ter filhos, mas não agora, não hoje, não esse ano acho que tenho direito de escolher!!

    BEIJÃOOO LINDA!!

  12. O sonho da minha vida é casar na igreja, de branco, apaixonadíssima e numa festa linda, e depois ter pelo menos 2 filhos! Mas isso não quer dizer que esse deva ser o sonho de todas as mulheres do mundo, ora essa! Cada um na sua!
    Beijo, Dani!

  13. Ah as pessoas sempre terão algo para comentar por isso nem ligo mais,quando era solteira enchiam o saco pra eu casar,tá casei agora querem que eu tenha filhos e até querem escolher o sexo ahaha como se isso fosse possivel pra elas,são fogosas e se a gente comenta algo sobre sexo olham todas pra gente com olhares de reprovação,no mais se dizem deixem dizer.Eu amo ser casada,pra mim foi uma das melhores coisas que me aconteceu,um presente de Deus,vamos ver quando eu estiver na idade delas como irei pensar. Bjos!

  14. acho que sou privilegiada! na minha família não tem muito disso de rodinhas. sem dúvida que tem papeis muito bem marcados, mas no geral nunca passei por isso. sempre fui muito rebelde então ninguém se sentia confortável de me fazer perguntas do tipo “quando vai casar”, “quantos filhos quer ter”. ainda bem, eu teria respondido coisas terríveis, mesmo querendo casar e ter filhos ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s