Um pouco de gratidão

Hoje, caminhando de volta para casa após mais um longo e cansativo dia de aula, em pleno final de semestre, com mil problemas na cabeça, fiquei repentinamente de bom humor. Acreditem, não era algo que eu esperava. Normalmente, sou mal humorada e ansiosa, sofro por antecipação, faço tempestade em copo d’água e fico muito pior nessa época do ano. Confesso. Mas, naquele momento, eu não conseguia pensar em nenhum problema. Curti aquele “passeio” de poucos minutos, as ruas do meu bairro, o sol que ainda brilhava no céu e o ventinho gostoso que soprava amenizando o calor.

Esse raro momento de bom humor foi por conta do tempo, que estava exatamente como eu gosto, e confirma a minha teoria de que meu humor depende mais do clima do que eu gostaria. Mas, além disso, foi muito auspicioso. Como eu disse, sou mal humorada, ansiosa e dramática. Não me orgulho dessas características e adoraria ser uma pessoa mais calma e bem humorada, otimista na medida certa e grata. Li na Vida Simples do mês passado uma crônica muito boa de Eugenio Mussak sobre gratidão e fiquei querendo ser uma pessoa mais grata.

Quando lia sobre o assunto, sempre o relacionava à religião, ser grato a um deus, a uma divindade, a alguém pelas coisas boas que se tem. Sou grata às pessoas ao meu redor pelo que fazem por mim, mas não sabia como ser grata sem direcionar esse sentimento a alguém. No texto, Eugenio diz: “Gratidão a quem? A Deus? À vida? Não importa. O importante é a gratidão. Ela engrandece quem a sente e dará um jeito de atingir seu alvo.”

Desde então, tenho querido sentir gratidão. Racionalmente, pensando friamente no que tenho e onde estou, eu sabia que tinha razões de sobra para ser grata, mas isso não vinha como um sentimento, apenas como uma constatação. Hoje, numa caminhada rotineira de poucos minutos, creio ter encontrado esse sentimento tão simples e tão poderoso justamente por motivos tão singelos. Ao chegar em casa, me detive na “garagem” por alguns minutos olhando para o meu redor. A vista aqui é muita boa. Consigo ver boa parte do meu bairro e tenho uma excelente visão do campus 1 da USP. Me peguei agradecendo pela vida que tenho hoje; pela cidade, pelo bairro e pelo apartamento onde vivo; pela casa para onde volto nos finais de semana; pela oportunidade de estudar aqui; pelos meus pais; por todas as pessoas bacanas que conheci aqui; pelas pessoas de quem sinto saudades; pelo Lu; e até pela minha vida “virtual”, o blog, a 21, e os amigos que conheci por conta deles. Agradeci também por, finalmente, ser capaz de sentir gratidão.

Acredito que eu estava precisando disso. Esse semestre tem sido muito difícil para mim, não só pela faculdade. Por diversos momentos, me peguei pensando se era aqui mesmo que eu gostaria de estar, se eu não vinha empurrando minha vida com a barriga, se eu não estava acomodada demais para mudar. Esse sentimento de gratidão me fez ver que sim, estou aqui porque quero estar, porque cheguei até aqui, porque mereço estar aqui. Esse sentimento me fez perceber que eu realmente amo as pessoas ao meu redor, por mais que a convivência torne toda e cada relação mais complicada.

Estou muito feliz e verdadeiramente grata e creio que precisava tirar alguns minutinhos para compartilhar isso com vocês, que fazem parte também disso tudo. Nesse caso, aproveito para agradecer a todos que lerem esse texto, leitores do blog, amigos, namorado, cúpula do mal, pai e mãe: obrigado por fazerem parte da minha vida.

Anúncios

6 comentários sobre “Um pouco de gratidão

  1. Sempre ouvi muito falar disso e não tenho problemas em agradecer. Mas como agora estou frequentando um grupo de oração, então agradecer a tudo a todo momento, esta virando hábito :)

  2. Dani, sabe que eu tenho naturalmente esse pensamento todos os dias? Acho que, por ter passado umas coisas tão punks, aprendi a valorizar tudo que me cerca. Já fui muito egoista, não dava valor à nada, e isso me deixava sem rumo. Hoje em dia, vendo o que já caminhei, penso que tenho mesmo que ser grata por estar onde estou, todos os dias. Como não tenho religião, então atribuo tudo às pessoas que me cercam também, inclusive as que não foram tão boas: de uma maneira ou outra, elas me fortaleceram.

    ótimo post. Fico muito feliz por isso! Um beijo,
    Re

  3. Estou lendo essa cronica nesse momento… Só “não reclamar da vida” não adianta né? vou carregar comigo essa filosofia sempre!
    aaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhh obrigado Dani por dividir as suas palavras aqui no no blog.

  4. Você está no caminho certo Dani, não precisamos de religião para sermos gratos, por mais que eu tenha tatuado no pulso uma frase para que eu lembrasse o quanto deveria ser grata, ainda me pego resmungando vez ou outra, mas é isso mesmo, ser grato não é nos questionarmos se o que temos é bom, mas é aceitar o que temos e mudar se for preciso!
    Grande beijo!
    Vanessa Oliveira

  5. Olá Dani. Que texto gostoso e reflexivo. Fui imaginando sua caminhada e o bom dia que fez por aí, no céu e por dentro de você!

    Gratidão é isso mesmo. Vem de graça quando menos esperamos. Não sei se você tem uma religião ou crença, mas sempre olhe pros altos e agradeça. Esse exercício constante, acredite, nos deixa mais alegres, confiantes e nos faz colocar na boca o agradecimento por tudo e todos.

    E olha, agradeço também as dificuldades que me fazem amadurecer. Sem elas, que gostinho teria a vitória.

    Gostei muito desse pensamento seu: “eu realmente amo as pessoas ao meu redor, por mais que a convivência torne toda e cada relação mais complicada”.

    Ando precisando sentir isso, “por mais que a relação e convivência seja complicada”. As vezes se complica tanto que os sentimentos esfumaçam, se tornam cinzas. Mas quero aprender também.

    Viu? Todos tem algo a aprender! :o)

    Tenha um dia abençoado e cheio de agradecimentos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s