Às vezes, a gente precisa

Às vezes, a gente quer escrever no blog. Às vezes, a gente precisa.

Na maioria das vezes, publicar o texto não é necessário. Basta escrevê-lo. Muitas vezes, basta rascunhá-lo. Quando sentei em frente ao computador para escrever esse aqui, não sabia se ele viraria um post ou não. Aliás, ainda não sei.

É uma sensação estranha essa de precisar escrever. Muitas vezes, nem sabemos o que. Sobre o que é esse texto, afinal? Eu também ainda não sei.

Não tenho me sentido bem. (Em geral, a necessidade de escrever vem quando não nos sentimos bem.) Já tive essa sensação de estar empurrando a vida com a barriga algumas vezes, mas sempre passa rápido, logo eu encontro minha motivação e volto a viver de verdade. Mas isso não aconteceu dessa vez. Me parece que as coisas inverteram: meu estado natural é o de piloto automático e, às vezes, acordo para viver para valer (meio como acontece no filme Click). Não é isso que eu quero. O piloto automático deveria ser uma exceção e não a regra.

Não consigo compreender esse estado. Às vezes, confundo-o com tristeza e daí tenho duas reações totalmente opostas: a de me autocriticar por “não ter motivos” para ficar triste ou a de ser compreensiva comigo mesma e abraçar a tristeza, porque acredito que todo sentimento é válido e temos que aprender a conviver com todos eles, cada um a seu tempo. Mas não é isso e eu não sei bem o que é. O que me incomoda é que essa não sou eu e nessa de ficar no automático, estou deixando minha vida passar sem vive-la como eu gostaria.

O que eu mais quero agora é saber como sair desse estado e voltar a ser completamente eu mesma. Quero voltar a estar presente na minha própria vida todo o tempo. Essa última semana foi a pior de todas. Até então, eu estava acreditando que isso logo passava e que eu não precisava me incomodar (postura típica do meu piloto automático). Agora, depois dessa semana, percebi que não, que eu tenho que fazer alguma coisa. Talvez ter percebido isso já é algo. Talvez escrever esse texto já seja um segundo passo. Novamente, eu não sei.

Anúncios

7 comentários sobre “Às vezes, a gente precisa

  1. Acabei me identificando muito com a sua fase, Dani. Espero que passe, que passe logo e que o piloto automático não seja tão usado por aí como está sendo por aqui.
    Se te animar de alguma forma, eu já fiquei ansiosa pelo vídeo! haha
    Beijo <3

  2. Nossa! Entendo perfeitamente suas palavras. Poderia assinar embaixo! Escrever é a válvula de escape nessas horas… Espero que em breve tudo “volte ao seu lugar”.
    Beijos!

  3. Juro que quando abri o post estava pensando mais ou menos a mesma coisa : como eu ando parada, sem ânimo, é como se a correnteza da vida me levasse ao invés de eu ir nadando. Tenho a impressão de que não consigo mais produzir nada, me dedicar a nada… Muito chato isso. Fiz um bolo de abacaxi pra liberar a mente rs.
    Espero de verdade que você consiga retomar o controle e deixar o piloto de lado o quando antes ! Também estou esperando o video.
    Des bisous ^_^

  4. Querida Dani, espero que esta sensação já tenha passado e que você esteja novamente animada com a vida.
    Pense que você já está quase terminando a faculdade. Faça planos. Eu sempre fico animada quando começo a pensar no que gostaria de fazer ainda na minha vida. Conversar com as amigas pode ser uma boa forma de levantar o ânimo, mas escolha aquelas que vão te ouvir e dar força para ficar feliz e não as que vão fazer uma concorrência de quem está mais desanimada.
    Boa sorte! Alegria!!!
    Beijos e um ótimo final de semana!
    Rafaela

  5. Eu me sinto assim faz uns 2 meses… engraçado que antes disso eu estava motivada, animada… antes todos os dias eu pensava em algumas metas pro dia seguinte e sempre cumpria, não procrastinava, não enrolava, ia lá e fazia. Tava fazendo ginastica em casa e tudo. Daí parece que de repente uma chavinha mudou e eu entrei em modo automático também, fico fazendo as coisas necessárias e só. Acho ainda que esse sentimento é piorado com as redes sociais, a gente vê todo mundo feliz, saindo com os amigos, viajando, trabalhando feliz… sei lá, pode ser tudo fingido, mas a comparação com a própria vida é inevitável. Já me perguntei se esse sentimento pode ser hormonal, se pode ser falta de alguma vitamina, se pode ser depressão… o mais triste é que se for no médico, ele faz uma consulta em 5 minutos e receita um tarja preta pra ficar feliz, o que sou totalmente contra. Bjs Pri

  6. Entendo perfeitamente o sentimento de “precisar escrever”,sendo postado ou não! E mais ainda o de “sentir que está deixando a vida passar”, ainda não consegui dar um jeito nisso e não é sempre que paro e digo “acorda pra vida, esse ano passou e o que tu fez?” , é complicado … ! ;*
    Adorei o post!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s