One Lovely Blog Award

Antes de começar a escrever o post de hoje propriamente dito, gostaria de agradecer por todo o carinho de sempre, mas em especial, nesse sétimo aniversário do blog. ♥

Dito isso, confesso-me um pouco envergonhada da falta de posts esse mês, justamente no mês de aniversário do blog. A vida tem andado mais caótica do que o usual e esse fim de curso tem me enlouquecido como semestre nenhum enlouqueceu. O problema não é o excesso de coisas a fazer, porque com isso eu me viro muito bem, mas toda a vibe de ansiedade e dúvida que paira sobre a minha cabeça. De qualquer modo, esse não é o assunto do post de hoje.

Eu pretendia postar um vídeo nessa semana. Gravei na segunda-feira e, na hora de upar para o YouTube, descobri que não só tinha deletado sem querer o arquivo, como tinha esvaziado a lixeira (hábito compulsivo diário). Pois bem, não adianta chorar sobre o leite derramado, muito menos sobre o arquivo deletado, então tentarei gravar novamente amanhã ou na próxima semana. Enquanto isso, a Jéssica do Malemolências saved my butt me indicando pra esse award lindo, com perguntinhas blogueiras e tudo o mais, no melhor estilo blogosfera de raiz.

One Lovely Blog Award

Por que decidiu criar um blog e quando começou?

Criei meu primeiro blog em 2003. Eu tinha 12 anos e tinha descoberto o mundo dos blogs recentemente, através de blogs lindos como o Ginny’s Place (que fui descobrir recentemente que era escrito pela Duds do Pode me Chamar de Duds) e o Just Lia. Naquela época, em que as redes sociais não existiam, ter sua própria página na web era algo muito louco e maravilhoso e eu, que já estava viciada nessa máquina chamada computador e nessa coisa mágica que é a internet, não resisti a ter meu próprio espaço. Inicialmente, a razão foi essa mesma: curiosidade. Mais tarde, os blogs foram se tornando parte do meu cotidiano e escrever posts se tornou uma atividade não só muito prazerosa, como muito benéfica para mim. Criei um blog por curiosidade, mas estou nessa vida blogueira há 11 anos porque escrever me faz bem.

Quais benefícios o blog te traz?

Não sei nem por onde começar, porque são muitos, mas vamos lá. Acredito que o benefício mais óbvio é a melhoria da escrita. Acredito que, para escrever bem, é necessário ler e praticar muito e o blog entra nessa parte do exercício porque, além de me fazer escrever mais, me permite redigir textos diferentes do que escrevo normalmente (redações e trabalhos de escola antes e trabalhos acadêmicos hoje) e também reler textos antigos e identificar os pontos onde melhorei e onde ainda preciso trabalhar. Escrever também é um exercício de autoconhecimento. Aprendi muito sobre mim mesma verbalizando o que estava sentindo ou pensando. O feedback dos leitores também ajuda muito. Ora porque me faz pensar por outro ponto de vista, ora porque a identificação de quem comenta me faz perceber que não, não estou sozinha nessa. Comentários elogiosos fazem bem para minha autoestima e comentários críticos me ensinam a conviver com opiniões diferentes ou mesmo a lidar com os haters sem me machucar. Através do blog, conheci muita gente bacana que se tornou amiga mesmo que nunca tenha visto pessoalmente. Além disso tudo, cuidar de um projeto como um blog, mesmo um blog pequeno e pessoal como o meu, exige tempo e dedicação, me obrigando a me organizar e aprender a priorizar.

Qual é o post mais acessado?

Como ser a pessoa mais organizada do mundo, graças à querida Thais do Vida Organizada, que o indicou em uma de suas linkagens de domingo.

Você usa as redes sociais?

Sim! Minha favorita é o Twitter, onde posto compulsivamente bastante em minha conta pessoal (@guedss) e divulgo posts e compartilho novidades do blog no @semformol. Ainda tenho Instagram, Skoob, Listography e Facebook, onde o blog tem uma fanpage.

Como o blog tem evoluído?

Assim como disse a Jéssica, “meu blog é como um balão, voa conforme os ventos”. Acho que essa linda frase ilustra bem.

Já viveu algum fato importante por causa do blog?

Acredito que não, mas o blog sempre gera situações interessantes e/ou gostosas. Morro de vergonha quando alguém que me conhece pessoalmente diz ler ou ter lido o blog, mas fico radiante quando uma dessas pessoas elogia ou, mais legal ainda, diz ter seguido uma dica minha e ter funcionado. Aliás, esse é um tipos de comentário que mais me agrada receber, porque acho o máximo poder ajudar os outros através do blog. Nesse sentido, ter recebido uma mensagem carinhosa de uma leitora que passou na Fuvest, agradecendo pelas dicas e pela inspiração, foi uma das coisas mais gostosas que me aconteceu graças ao blog. Além disso, recentemente, apresentei o blog como projeto meu no processo seletivo de estágio da Danone e, mesmo tendo pouco a ver com a área onde pretendo trabalhar, recebi uma boa avaliação e fui chamada para a próxima etapa, o que foi maravilhoso. Ademais, sou muito grata por todas as pessoas incríveis que conheci por causa do blog e por ter tido a oportunidade de ter escrito no principal blog de organização do país – e um dos meus blogs favoritos da vida toda – (obrigada, Thais!) e de participar desse projeto lindo que a Revista 21.

De onde nasce a inspiração para escrever e continuar com o blog?

Como meu blog é pessoal, a inspiração pode vir de qualquer lugar, portanto, sempre haverá sobre o que escrever – mesmo com um bloqueio criativo aqui e outro lá.

O que você tem aprendido a nível pessoal e profissional esse ano?

Esse ano, tenho desenvolvido a empatia, a tolerância e a gratidão. Tenho aprendido a respeitar a mim mesma e os meus limites, a não me forçar para fora da minha zona de conforto só porque pôsteres bonitos dizem isso, mas a encontrar minha própria motivação. Aliás, tenho pensado muito no que quero para meu futuro (estou no momento exato para isso, terminando minha graduação), nos meus sonhos e objetivos de curto, médio e longo prazo. Tenho buscado minha motivação para sair do estado de piloto automático sem sentido que tomou conta dos meus dias e, aos poucos, tenho me libertado da inércia. Também continuo pesquisando, lendo e aprendendo mais sobre organização e produtividade, assuntos que muito me interessam. Na faculdade, com poucas disciplinas e na reta final, tenho aprendido menos, é verdade, mas aos poucos tenho conhecido mais de perto o mercado de trabalho e, por conta do TCC, aprendendo mais sobre a academia (e tendo a certeza de que, ao contrário do que meu eu criança pensaria, não, eu não quero ser cientista, não, eu não quero ser pesquisadora).

Qual é sua frase favorita?

Sem formol não alisa.

Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo dos blogs?

Faça porque gosta e leia o ORGblog da Loma.

O que os blogs que você vai indicar tem em comum?

Não saem do meu feed.

Anna, Ana, Mandy, Giu, Mari, Lu, Gabi, queridonas, vocês estão convidadas a responder, ok?

Anúncios

5 comentários sobre “One Lovely Blog Award

  1. Gostei bastante de saber como começou Sem Formal Não Alisa. E parabéns pelos sete anos de blog! Concordo que é super legal descobrir quando uma dica do blog ajudou alguém. E nossa, também estou aprendendo muito sobre escrita conforme a publicação dos posts. Beijo!

  2. Obrigada por ter respondido a tag Dani ! I'm glad I saved your butt ahahaha
    Gosto daqui porque sei que os posts são sempre super completos, e esse não falhou à regra. Sabe que também estou numa fase meio “sera que quero mesmo ser pesquisadora ?” Ainda não tenho uma resposta definitiva, mas bateu um alivio ao saber que não sou a unica nessa situação. Sempre da um frio na barriga nesses momentos de “grandes” decisões né ?
    Agora fiquei ansiosa para ver o video…
    Des bisous !

  3. Adorei ter conhecido melhor sobre O sem formol… e ver seu amor e dedicação. Porque nossos blogs podem não trazer retorno financeiro mas trazem amizades, carinho, reconhecimento, coisas que são mais importantes.

  4. Hey :3 , vim parar aqui graças ao RotaRoots e to gostando muito do blog. Deste post em especial, dei sorte, pq já fiquei sabendo um pouco mais sobre a autora e o blog. Também comecei na blogosfera por volta dos 12 anos, desde lá tive milhares de blogs, infelizmente eu deletei quase todos e muito “conteúdo” se perdeu. Faz pouco mais de um ano que estou me dedicando ao Moniitorando, entre idas e vindas, decidi nunca apagá-lo, mesmo que fique muito tempo sem postar. Também gosto de reler o que foi escrito há algum tempo e ver onde melhorei e onde ainda devo melhorar ;*

    http://www.moniitorando.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s