Borboletas no estômago

Esse final de semestre está sendo atípico. Ao contrário dos outros nove, em que “sobrecarregada” se tornava a melhor (e não mais polida) resposta para o “como você vai?”, o décimo final de semestre da minha graduação não tem tantas aulas, provas e trabalhos, mas tem uma carga muito maior de estresse e ansiedade do que todos os outros.

No final de janeiro, eu me formo com pompa e circunstância, com discursos e fotos, lágrimas e festas cheias de uma ostentação que não faz parte do meu dia-a-dia (mas que provavelmente está mais presente no cotidiano dos colegas mais abastados). Em alguns momentos, me arrependo de ter querido participar da formatura da minha turma e penso se eu não deveria ter poupado o dinheiro e o tempo dos meus pais e dos meus convidados, optando apenas pela colação de grau. (Imagino-me sentindo deslocada na minha própria formatura, embora eu me recorde de ter me sentido bem quando confundida com os formandos no jantar do meu namorado.) Em outros momentos, entretanto, acho que mereço a pompa, o brilho e o champagne, afinal, não tenho planos de ter outra festa desse tipo na minha vida, centrada, de certa forma, em mim. Eu não tive baile de debutante (porque não quis) e, muito provavelmente, não vou ter festa de casamento (porque não vou querer). Não gosto de ser o centro das atenções (sou tímida) e a vantagem da formatura é que só o serei na minha mesa. Além disso, acredito que a vida deva ser celebrada (não necessariamente assim) e que cada conquista, mesmo que mínima, mereça ser comemorada. Assim, faz muito sentido fazer parte de uma festa que pretende, afinal, celebrar essa conquista importante nas vidas minha e de meus colegas.

Talvez eu pense demais.

Paralelamente a esses questionamentos, eu tenho que me organizar, afinal, independente da conclusão a qual eu chegar, eu já tomei minha decisão. São convidados, hotel, logística, cabelo, maquiagem, roupa e um monte de coisa com a qual minha experiência é ridiculamente pequena. Eu adoraria ser uma dessas pessoas que simplesmente vão lá e fazem as coisas, mas sou ansiosa demais para simplificar qualquer processo. Tenho que sofrer em cada decisão, e tem que ser por antecipação e durante muito tempo, senão não seria eu.

Apesar disso, se meu único “problema” fosse a formatura, eu estaria muito bem, obrigada. Mas não é possível estar assim quando sua vida está prestes a mudar. Acredito que são poucos os seres iluminados que não se sintam nem um pouco inseguros em um momento de transição. Além disso, não é como se meu final de semana de formanda marcasse o final da minha graduação. Optei por participar da festa da minha turma, mas só me formarei de fato no meio ou no final de 2015 (como a maioria dos meus colegas, inclusive). Ainda tenho créditos a cumprir, estágio para fazer e meu TCC se estenderá por mais alguns meses. A procura por estágio tem sido extremamente frustrante porque meu horário (sempre) complicado me impede de estagiar em outra cidade e reduz demais as possibilidades. Fui “rejeitada” por duas empresas após análise de currículo e disponibilidade de horário e posso dizer com convicção que isso doeu mais que qualquer rejeição que eu possa ter sofrido na vida. (Nenhum toco doeu tanto quanto “Prezada Daniela, agradecemos seu interesse na empresa X, mas…”) Além disso, a dor de ser rejeitada é muito maior que a alegria de ser chamada para uma próxima etapa de um processo seletivo porque #soudessas (todos somos, eu acho). Meu otimismo é frágil e qualquer dificuldade é motivo para que eu me desespere e ache que está tudo perdido. Ao receber um dos e-mails de rejeição, minha sensação foi de que eu ficaria desempregada para sempre e de que todo esse esforço quase homérico que fiz para chegar aqui foi em vão.

Eu sei que tudo isso vai parecer muito dramático e exagerado para algumas pessoas. (E provavelmente é.) Eu sei também que esses sentimentos todos estão sendo potencializados por eu estar passando por essa fase de questionar toda a minha vida tentando sair do piloto automático. Eu sei que tudo isso vai passar conforme as coisas forem acontecendo. (Aliás, já está passando.) Eu também sei que, junto a essa ansiedade negativa, há uma ansiedade boa. As borboletas no estômago que me dizem que tudo pode dar errado, também dizem que eu vou ter um lindo final de semana de formanda, ao lado de gente que amo, celebrando a coisa mais foda que fiz na minha vida e da qual eu tenho um orgulho imenso. Elas também dizem que, se eu dei conta de chegar até aqui, é claro que vou dar conta de terminar e apresentar um bom TCC (até porque tenho uma orientadora ótima e muito querida) e de arranjar um bom estágio e, futuramente, um bom emprego. Meu lado otimista e pollyânico (?) me lembram que eu também fiquei ansiosa em meio à maratona de vestibulares e, no final, tudo deu (muito) certo. De qualquer forma, acho que borboletas estomacais dessas dimensões merecem menção no blog e vim registra-las.

Anúncios

6 comentários sobre “Borboletas no estômago

  1. Essa época é tão difícil! Formei ano passado, e tem essa sensação do “e agora?” perto do final, você vai sentindo a faculdade acabar e surgem as dúvidas do que fazer a seguir…

    Mas calma, respira! Está difícil agora mas vai melhorar, a vida muda o tempo todo então olhar o futuro às vezes é meio irreal, porque a gente consegue prever algumas coisas, mas nunca o “todo”.

    Desejo pra você muita calma agora. Que você consiga um estágio bem legal. Boa sorte com o TCC, essa coisa que faz a gente querer arrancar os cabelos no durante mas dá uma sensação maravilhosa no depois.

    Beijos!

  2. Todos temos borboletas no estômago.
    Com mais ou menos intensidade.
    Essa aflição toda é porque está acabando e você é boa naquilo que pretende fazer.
    Vai dar tudo certo Dani, você vai ver!
    Beijos

  3. Ei Dani :)
    Sei bem como é isso.
    Ao contrário de você, eu AMO comemorar as coisas com pompa e circunstância. Troquei minha festa de 15 por uma viagem pra Disney (a melhor escolha que fiz na vida) mas sonhava com a formatura da faculdade desde sempre – e até hoje acho que me diverti menos do que deveria na minha festa, apesar de ter me divertido um tanto e terminado rouquinha. Curta muito a sua!!! E as borboletas… curta também! Elas geralmente terminam de forma boa!
    Beijo beijo

  4. Dani, acho que em qualquer fase da vida em que grandes mudanças estão por vir, as tais borboletas aparecem. O importante é não deixar elas virarem medo, e curtir o período de fechar um ciclo e se preparar para o novo que irá começar :)

    Boa sorte com o TCC!

    Beijos

  5. Dani, entendo totalmente suas angústias. Se estivesse no seu lugar, provavelmente estaria com as mesmas ansiedades, dúvidas e me perguntando por que diabos inventei uma festa de formatura. Como é triste pensar demais, né? Uma amiga que sofre desse mesmo problema uma vez disse e eu morri de rir (concordando muito e chorando ao mesmo tempo): por que levar a vida tranquilamente se posso ficar overthing e sofrendo por absolutamente tudo ao meu redor??????
    É bem isso.

    O que eu posso te dizer é que você tem todos os motivos do mundo pra aproveitar muuuuito a sua festa. Sim, foi uma coisa muito foda que você conseguiu, é uma vitória pessoal que merece ser comemorada. Também não curto ser o centro das atenções de nada, mas aproveite a chance para curtir com seus pais, suas amigas, seu namorado, dançar muito, ficar deliciosamente bêbada e comer muitas coisas gostosas.

    Quanto ao futuro, é uma fase complicada pra todo mundo esse início de vida adulta e profissional. Rejeição dói mesmo, mas não é nada pessoal. Você é uma ótima profissional, e vai conseguir seu espaço no mercado. Já assistiu Frances Ha? Acho um filme perfeito pra momentos de dúvidas e incertezas. Frances musa e inspiração eterna. Fica aí a dica :)
    beijos e força!
    <3

  6. Olá, Dani! Quando me formei também fiquei pensando porque tinha aceitado participar da cerimônia, fotos e tals – na minha nem teve tanta pompa assim. Só que quando chegou o dia, eu estava tão feliz. Foi emocionante. É uma das melhores lembranças daquele período. Vai com fé! Vai ser muito legal! Aproveite para comemorar muito esta conquista que é muito sua! Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s