Resumão: Junho/2015

Em um ano de primeiras e últimas vezes, junho foi um mês de últimas. O último mês do semestre também foi o último mês de aulas da minha graduação, o último final de período, o último mês morando no apartamento 02. O mês da última prova, da última apresentação de seminário, da última aula e talvez da última vez sentada naquelas carteiras, naqueles bancos, debaixo daquelas árvores, naquele prédio, naquele campus com o qual mantive aquela mesma relação entre tapas e beijos que sempre tive com meu curso e com São Carlos. Junho foi o mês da última pizza do Bom Pedaço devorada no sofazinho verde, da última ida ao shopping por aquele mesmo caminho de sempre, da última compra da semana no Arco-Íris, do último banho naquele chuveiro difícil de se acertar a temperatura, da última pipoca do Lu no meio da madrugada de um dia de semana porque nos distraímos conversando e mesmo tarde, a fome bateu. É claro que isso tudo e mais tantas outras coisas podem voltar a acontecer algum dia, mesmo que não exatamente da mesma forma ou no mesmo lugar. Mas, se não acontecer, tudo bem. É sempre difícil fechar um ciclo e deixar uma parte da nossa vida para trás. Principalmente uma parte tão importante. Mas a história fica. As lembranças ficam. As coisas que aprendemos ficam. As pessoas ficam. (Ainda que separadas por quilômetros de distância.)

Eu ainda tenho São Carlos, e o Lu e até mesmo os móveis do apezinho. Ainda tenho parte da mudança para fazer e muita burocracia para resolver em terras são-carlenses. Ainda tenho meu TCC para finalizar e apresentar. Ainda tenho meu diploma para buscar. Ainda tenho os colegas (parte deles, pelo menos) para rever. Vou remontar o apezinho em algum outro lugar, provavelmente não no apartamento 02, mas quem sabe em São Carlos novamente, talvez até mesmo no Jardim Santa Paula e, por que não, na rua Luiz Saia? Quem sabe neste novo apartamento ou num outro não tenha o Lu novamente, acordado comigo madrugada afora em plena quarta-feira?

Meu futuro próximo nunca foi tão incerto. Tenho prazos para cumprir, compromissos e coisas a fazer, mas a minha rotina e até mesmo minha casa nos próximos meses são incógnitas. Sigo procurando estágio ansiosa porque nunca soube lidar com essa indefinição. Sigo trabalhando no TCC, mais animada agora que consegui terminar uma das etapas mais complicadas e que menos dependiam de mim. Sigo na graduação porque, apesar da festa do final de janeiro, ainda não me formei. Sigo dividida entre sentimentos muito opostos, mas hoje estou mais calma e confiante, tentando viver um dia de cada vez, ainda que com um olho no futuro e planejando meus passos conforme é possível.

Este final de curso tem me ensinado mais do que eu esperava. Ou, ao menos, tem me relembrado de lições que insisto em esquecer. Inevitavelmente, as coisas vão sair do nosso controle. Aliás, a maioria delas não está, nunca esteve e nunca estará sob nosso controle. Eu posso fazer minha parte e torcer para que os outros (e a vida, o universo, deus, ou sei lá o que) façam a deles. Ou do what I can and hope for the best (conselho da Frankie sobre filhos que vale pra tudo na vida).

Fora isso, junho também foi mês de colecionar minions e rascunhos de posts nunca publicados. Foi mês de eat my feelings e o que mais tivesse para comer. Foi mês de lidar com hormônios enlouquecidos e gripe forte porque tá pouco de coisas para lidar, manda mais. Foi mês de ignorar o Instagram (guedss) e usar cada vez mais o Snapchat (daniguedss), mesmo que eu ainda apanhe um bocado do aplicativo. Foi mês de me encantar novamente pelo céu e não cansar de fotografar o pôr-do-sol. Foi mês de sofrer a cada login no Timehop ao ler os tweets sobre a Copa. Foi mês de maratonar Daredevil e The Middle, começar My Mad Fat Diary e dar mais um tempo em Dragon Ball. Foi mês de começar a reler A Hora da Estrela, como se eu não tivesse livros começados e para ler o suficiente. Foi mês de assistir filminhos de comédia porque a leveza era necessária. No mesmo sentido, foi mês de jogar coisas fora e me preparar para a mudança.

Aqui no blog, foi um mês pobre. Como eu disse, escrevi muita coisa, mas todos estes textos se mantêm na pasta de rascunhos e talvez nunca saiam de lá. Escrevi sobre minimalismo – meu post favorito do mês – e sobre ser desastrada e postei seleções de wallpapers e de links bacanas. Gravei um vídeo. Até mesmo editei um vídeo. Mas ainda não o postei. Ainda trabalhando no canal do blog, fiz thumbnails novos e editei as descrições.

Para julho e para este semestre, não prometo nada. Só espero que seja mês (e sejam meses) de inícios e primeiras vezes.

Anúncios

Um comentário sobre “Resumão: Junho/2015

  1. Oi Dani! Saudades de comentar aqui! :)

    Eu tenho uma mania estranha de achar que todo mundo pensa e sente igual a mim! Haha, achei que você tava super feliz em voltar pra casa dos seus pais, mas parece que você se adaptou a essa vida de morar sozinha enquanto estudou, coisa que pra mim não deu certo quando tentei, e não sei se daria certo algum dia, sabe? Mas parabéns pela sua graduação! Pude acompanhar um pouco da sua trajetória através do blog, e agora desejo que se inicie uma nova fase que também te traga muitas alegrias e bons momentos para compartilhar por aqui!

    Um beijão, se puder voltar a me visitar, eu vou amar! =*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s